Política de privacidade

A Sigues assume um compromisso de privacidade e segurança dos dados pessoais de cada cliente, sendo estes apenas utilizados pela Sigues para o processamento das suas encomendas. Em nenhuma circunstância forneceremos os dados dos nossos clientes a outras entidades.

Todos os dados inseridos pelos utilizadores deste site são guardados de forma segura e utilizados unicamente para comunicações institucionais e comerciais da Sigues. Os utilizadores poderão em qualquer momento cancelar o envio destas comunicações, se e quando o desejarem.

Tratamento e acesso aos dados pessoais

O tratamento de dados pessoais é da responsabilidade da Sigues, Sílvia Luísa Gonçalves Rodrigues, com sede na Sitio da Pedragosa, CX P 152 Z, 8100-229 Loulé Algarve. Portugal, e com o NIF 219835985.

Nos termos da lei nº 67/98 de 26 de Outubro, é garantido ao utilizador o direito de acesso aos seus dados e respectiva rectificação. O utilizador pode fazê-lo contactando-nos através do email info@sigues.pt.

Área de cliente

Pode aceder aos seus dados pessoais e ao seu histórico de encomendas através da sua Área de Cliente, acessível através do LOGIN no topo do site.

Esta palavra-passe existe unicamente para seu uso pessoal neste site, e deve memorizá-la ou mantê-la num local seguro, de forma a não comprometer a privacidade dos seus dados.

Cookies

Este site utiliza cookies, que são dados trocados entre o browser e o servidor, que permitem acompanhar parte da actividade do utilizador no site.

Estes cookies servem apenas para melhorar a experiência do utilizador e para as nossas estatísticas internas, não sendo utilizados para quaisquer outros fins.

Lei e jurisdição

Este Website foi criado e está em funcionamento nos termos da Lei Portuguesa. O acesso a este Website encontra-se sujeito à aceitação das presentes condições e qualquer litígio relativo ao mesmo será regulado pela legislação portuguesa em vigor, sendo competentes apenas os tribunais do foro da comarca de Faro, com expressa renúncia a qualquer outro. No caso de alguma das condições ser considerada, por força de decisão judicial, nula, ilegal ou inaplicável, tal não afetará as restantes condições, que se manterão válidas na máxima extensão legalmente permitida.