Reportagem na revista Algarve Plus

“Jewellery maker Sílvia Rodrigues makes uo the quartet. Her Amar Cássima collection combines hand-crafted newsprint with ancestral copper techniques and tells the story of Moor Cássima and a tumultuous period in the history of Loulé, during the control of the Moors and the conquest oh the city in 1149.
The copper strips are long, straight and asymmetrical with sharp tips; while others embrace the coils of newsprint (the precious stones of this collection) just as the governor of Loulé embracd his three daughters and, wanting to protect them from captivity, left them enchanted in a fountain before fleeing to Tangier.
The collection comprises three sets, each onde dedicated to a particular sister: Lydia, Zara and Cássima.
Legend has it that Lydia and Zara were freed from the enchantment by a carpenter slave, using two breads brought from Tangier at the behest of the governor, that contained the key to disenchantment.
It is said that Cássima remains enchanted in the fountain bacause the bread was cut by the carpenter slaves´s wife, annulling the magical powers to release her”.

“A designer Sílvia Rodrigues faz parte do quarteto. A sua coleção Amar Cássima combina papel de jornal artesanal com técnicas ancestrais de cobre e conta a história da moura Cássima num período tumultuado na história de Loulé, durante o controle dos mouros e da conquista da cidade em 1149.
As tiras de cobre são longas, retas e assimétricas, com pontas afiadas; enquanto outras abraçam as bolas do papel de jornal (as pedras preciosas desta coleção), assim como o governador de Loulé abraçou suas três filhas e, querendo protegê-las do cativeiro, as deixou encantadas numa fonte antes de fugir para Tânger.
A coleção é composta por três conjuntos, cada um dedicado a uma irmã em particular: Lydia, Zara e Cássima.
Diz a lenda que Lydia e Zara foram libertadas do encantamento por um escravo carpinteiro, usando dois pães trazidos de Tânger, a pedido do governador, que continham a chave do desencanto.
Dizem que Cássima permanece encantada na fonte porque o pão foi cortado pela esposa do escravo, anulando os poderes mágicos para libertá-la ”.